Resumo

A base da espiritualidade é a harmonia entre o ego e o corpo. É um estado de graça que dificilmente é encontrado no ser humano. Mas como o ser humano perdeu essa graciosidade? O presente trabalho visa apresentar e debater o livro de Alexander Lowen, “A Espiritualidade do Corpo”, onde o autor lança uma nova luz sobre a ligação entre corpo e mente, incluindo o significado espiritual de saúde. Mais do que uma apresentação do livro o trabalho pretende fazer uma revisão de alguns conceitos da Análise Bioenergética, como respiração e grounding e como por meio dessa abordagem o indivíduo pode encontrar a saúde emocional, corporal e espiritual recuperando a capacidade de amar a si mesmo, as pessoas, os seres vivos de outras espécies, a natureza e a Deus.

Palavras-chaves: Análise Bioenergética; Espiritualidade; Graciosidade

A Análise Bioenergética é uma extensão do trabalho de Wilhelm Reich. Fundada por Alexander Lowen e acreditando na unidade entre mente e corpo, a Bioenergética surgiu como teoria e técnica neo-reichiana. É chamada neo-reichiana em função das modificações que Lowen propôs a abordagem desenvolvida por Reich. Lowen conheceu Reich em um curso que este ministrava sobre a Análise do Caráter. Ficou impressionado com as suas idéias, passou a freqüentar suas aulas com o objetivo de se tornar um terapeuta reichiano e em seguida iniciou o seu processo terapêutico com Reich de 1942 a 1945 (LOWEN, 1993).

Lowen foi cursar medicina em Genebra e retornou aos Estados Unidos em 1952. Segundo Volpi & Volpi (2003) em 1956 Lowen associou-se a John Pierrakos e William Walling fundando o Instituto Internacional de Análise Bioenergética com sede em Nova Iorque. A Bioenergética define como objetivo terapêutico a integração entre o ego e o corpo e para atingir este objetivo faz uso tanto do trabalho verbal quanto do trabalho corporal. Entre as técnicas desenvolvidas por Lowen estão o uso do stool, do groundig, de toques em pontos de tensão e de exercícios de respiração entre outros, além de utilizar a análise do caráter, proposta por Reich (1995) para o trabalho verbal.

Em 1996 Lowen retirou-se da direção do Instituto Internacional de Análise Bioenergética e continuou sua prática como psicoterapeuta, além de realizar workshops para pequenos grupos (VOLPI & VOLPI, 2003). Desde a criação da Análise Bioenergética muitos livros foram escritos por Lowen: Bioenergética, Medo da Vida, Narcisismo, Amor e Orgasmo, etc. Este artigo pretende relatar as principais idéias de um dos livros escritos por Lowen: “A Espiritualidade do Corpo. Bioenergética para a Beleza e a Harmonia”.

A idéia de escrever sobre este tema surgiu no Ciclo de Palestras Reichianas – Estratégias de Sobrevivência Emocianal, Física e Espiritual organizado pelo Centro Reichiano de Psicoterapias Corporais em conjunto com a Casla (Casa Latino-Americana).

Este Ciclo de Palestras aconteceu no mês de Novembro do ano de 2007. Foram apresentadas quatro palestras, uma por semana respectivamente. Fiquei responsável por apresentar uma destas palestras que foi intitulada: “Debate sobre o livro: A Espiritualidade do Corpo, de Alexander Lowen”. Após a apresentação surgiu a idéia de levar esta palestra para o XIII Encontro Paranaense / VIII Congresso Brasileiro / II Convenção

Brasil/Latino-América de Psicoterapias Corporais.

Mas o que é a espiritualidade do corpo? O que Lowen queria dizer com espiritualidade? Huxley (1991) citado por Lowen (1995) descreve três formas de graça: a graça animal, a graça humana e a graça espiritual. A graça espiritual implica um senso de união com uma ordem superior, a graça humana é a forma como tratamos nosso semelhante, descrita como amabilidade. “[…] a graça animal chega aos humanos quando, em vez de maltratar o nosso corpo e interferir com o funcionamento da nossa inteligência animal inata, nós nos abrimos para os benefícios do sol e para o sopro do ar” (HUXLEY, apud LOWEN, 1995, p. 12).

De acordo com Ferreira (2004) graça é um favor dispensado ou recebido; mercê, benefício, dádiva. Na teologia, segundo o mesmo autor, graça seria um dom ou virtude especial concedido por Deus como meio de salvação ou de santificação. Outro conceito de graça é beleza, elegância ou atrativo de forma, de aspecto, de composição, de expressão, de gestos ou de movimentos (FERREIRA, 2004). Para Lowen (1995) a graça é um estado de santidade, de inteireza, de conexão com a vida e de unidade com o divino, em outras palavras, um estado de saúde.

A verdadeira graciosidade não é algo que possa ser aprendido; ela é uma das qualidades naturais do homem enquanto criatura de Deus. Mas como perdemos a nossa graciosidade? Na verdade o indivíduo começa a perder sua graciosidade no seu nascimento. E esta perda é um fenômeno físico, basta observar, por exemplo, como aspessoas se deslocam ou ficam em pé.

Segundo Lowen (1995), uma vez perdida a graciosidade, ela só pode ser recuperada restabelecendo-se a espiritualidade do corpo. E a base da espiritualidade é a harmonia entre o ego e o corpo.

No ocidente, com sua visãmais mecanicista, espiritualidade é mente, crença. No oriente, com sua visão mais holística, espiritualidade é corpo, sentimento.

A Bioenergética é uma abordagem queintegra os pontos de vista oriental e ocidental e uti liza o poder da mente paracompreender as tensões que constrangem o corpo.

Mobiliza a energia do corpo paraeliminar essas tensões e a energia é a força que esta por trás do espírito, ou seja, a base da espiritualidade do corpo (LOWEN, 1995). O propósito desse livro é encarar o corpo como uma manifestação externa do seu espírito.

Uma das formas de se perceber este corpo é através da respiração. A respiração é uma manifestação da espiritualidade do corpo.

É possível perceber uma respiraçãomais natural em crianças e animais, uma respiração mais abdominal e menos torácica. Todavia não é o que percebemos na maioria dos indivíduos em nossa cultura movida pelo estresse.

Segundo Lowen (1995) quando respiramos superficialmente, reprimimos certos sentimentos ligados ao abdômen, como a tristeza e a sexualidade. A respiração superficial evita com que o indivíduo entre em contato com esses sentimentos reprimidos.

Portanto respirar mais é sentir mais. Na Bioenergética, corpo engloba mente, espírito alma.
A mente é vista como um órgão perceptivo e reflexivo; o espírito é considerado a força vital do organismo manifestada na auto-expressão; a alma corresponde ao senso ou sentimento pessoal de fazer parte de uma ordem mais ampla e universal (VOLPI & VOLPI, 2003, p. 21).

Outra forma de se perceber este corpo é através dos seus movimentos. Temos dois tipos de movimentos: os voluntários que são mecânicos e os involuntários que são espontâneos. Segundo Lowen (1995) quanto menor a interferência da vontade num movimento, mais espontâneo e gracioso ele será. A falta de graciosidade é sinal de doença. A saúde depende de se encontrar um equilíbrio entre o ego e o corpo. O espírito humano anseia por recuperar sua graça natural, por libertar-se da prisão representada pelo ego. Quando a metade superior do corpo domina a personalidade, perdemos nossa graciosidade.

Cristian G. Valeski de Alencar – Psicólogo Reichiano

Fonte: http://www.centroreichiano.com.br/artigos/Anais%202008/Cristian%20G.pdf