Queridos colegas e amigos,

À medida que entramos no novo ano, com toda a agitação e o medo sendo estimulado por eventos políticos ao redor do mundo, eu retorno à minha experiência de vida nos EUA no final da década de 1950. Lembro-me como menino muito consciente, da pressão para a conformidade das atitudes e normas sociais que eu mais tarde compreendi continha intenções opressivas e supressivas para aqueles que acreditavam na abertura da sexualidade, raça e expressividade emocional. Lembro-me também de uma época em que psicoterapeutas que trabalhavam diretamente com o corpo físico não diziam isso, e ficavam surpresos ao encontrar colegas que sabiam que também trabalhavam dessa maneira em uma conferência, ou workshop sobre esse tema.

Em nossa conferência deste ano, o IIBA remonta a essa época, e mais cedo, quando as ideias e práticas da Análise Bioenergética desafiavam diretamente essas atitudes restritivas e preconceituosas. Muito mudou desde aqueles dias. E muito permaneceu o mesmo. Agora enfrentamos um tempo, em todo o mundo, quando as atitudes restritivas sobre liberdade, auto expressão, respeito e aceitação das diferenças são novamente muito proeminentes. Nesta conferência olhamos onde estávamos na essência do nosso trabalho, tal como se desenvolveu nesses anos, e onde estamos agora, em teoria, prática e aplicação.

Mas ainda mais importante do que esta partilha da substância do nosso trabalho como terapeutas bioenergéticos e sua aplicação no mundo em que vivemos, é a oportunidade de estarmos juntos. Agora, mais do que experimentei nos últimos tempos, o chamado de estar com pessoas de coração e mente me atrai para a conferência. Eu acho que precisamos do apoio e do encorajamento para continuar trabalhando em face de tanta coisa que nos assusta e nos ameaça.

Em cada uma das áreas que abordaremos na conferência: sexualidade, trauma crônico relacional, consciência social e ação, estamos lidando com os efeitos das forças e comportamentos destrutivos no nível da família e da sociedade. Nós estamos olhando o que pode ser feito para melhorar, e mesmo impedir estes efeitos. E estamos juntos para apoiar e cuidar uns dos outros na dificuldade de trabalhar com esses elementos destrutivos em nossos pacientes, e da sociedade ao nosso redor, e mesmo em nós mesmos. Fazemos isso para que possamos estar mais disponíveis para aqueles que ajudamos, para que possamos entender melhor o que está acontecendo com eles e ao nosso redor, e para que possamos obter a ajuda e os cuidados de que precisamos.

Se você está esperando para se inscrever, esperando para decidir se este é o lugar para colocar suas experiências e partilhar seus preciosos recursos, decida agora vir e estar com sua comunidade, seus colegas, aqueles que, apesar de nossas diferenças, mantêm firme a nossa crença nos valores que sustentam nosso trabalho – auto expressão; Autodeterminação, verdade emocional e liberdade.

Espero ver você lá.

Calorosamente,

Scott Baum, em nome do Comité Científico