Pós no Libertas. A teoria na prática e no social.

Domingo, 20 de Abril de 2014





Herpes Simples

Sistema de Informações Medicinal

Versão para impressão | Enviar para e-mail | Comentar


 

O que é?
Herpes simples são lesões infecciosas que geralmente se manifestam ao redor da boca (herpes labial) e ao redor dos genitais (herpes anogenital).

O que causa?
Há dois tipos de vírus responsáveis pela infecção herpética: o HSV-1, responsável por infecções na face e no tronco; e o HSV-2, relacionado às infecções na genitália, de transmissão geralmente sexual. Essa divisão não é muito exata, já que ambos os vírus podem infectar qualquer área da pele ou das mucosas. Ambos são virus do tipo herpesvirus hominis, da família herpesviridae.

Sinais e sintomas
A primeira infecção geralmente não é percebida pelo indivíduo, que se torna portador do vírus. Em algumas pessoas, porém, a infecção ocorre de forma mais grave, sendo descritos dois quadros:
O primeiro é mais comum em crianças, podendo variar de algumas pequenas bolhas acompanhadas de febre até situações mais graves com febre alta, linfonodos aumentados(ínguas), dores no corpo e indisposição. Quando as bolhas se rompem surgem feridas e inchaço na boca, dificultando a alimentação. Tudo isso pode durar de duas a seis semanas e não costuma deixar seqüelas.
A primeira infecção genital surge cerca de cinco dias após o contato com o vírus do herpes. Surgem pequenas bolhas agrupadas e dolorosas no pênis, vulva ou ânus, acompanhados de dor de cabeça, febre e ínguas.
Nas infecções recorrentes, tanto nos lábios quanto na região genital, a pessoa começa sentindo uma ardência ou coceira no local onde surgirão posteriormente as lesões dolorosas. Essas lesões costumam ser pequenas bolhas agrupadas que podem se encher de pus e romper, durando cerca de uma semana.


É transmissível?
Sim. A transmissão costuma ocorrer por contato com um indivíduo transmissor, seja durante o período em que ele apresenta alguma lesão aparente ou até mesmo, em alguns casos, logo antes de surgirem ou depois de desaparecerem as lesões. Como o vírus "morre" muito facilmente fora do organismo, é difícil a transmissão através do uso de objetos utilizados por pessoas infectadas.Deve ser levado em conta o fato de que os preservativos protegem os indivíduos da transmissão do herpes. Porém, essa prevenção alcança apenas aquelas lesões que estiverem cobertas pelo látex. As lesões do escroto, base do pênis, região genital externa da mulher não são cobertas pelo preservativo, tornando possível a transmissão.


Por que some e volta no mesmo lugar?
Após a infecção primária o vírus migra através dos nevos para ganglios nervosos podendo ficar em estado de latência (sem causar sintomas) durante muito tempo. Quando reativado, por diversas causas (machucados, sol, tensão emocional, menstruação e outras infecções), o vírus volta para a pele através do nervo novamente e produz as lesões características.Isso tem forte influência da imunidade da pessoa atingida. Pessoas imunodeprimidas (com SIDA, leucemias e os transplantados, por exemplo) ou com algumas doenças crônicas costumam apresentar reativação do vírus mais frequentemente e de formas diferentes das habituais.

Como se trata?
O tratamento dos episódios da doença é feito com remédios antivirais como o aciclovir. Naquelas pessoas em que o herpes se repete com muita frequencia (mais de quatro episódios por ano) pode ser realizado um esquema preventivo utilizando a mesma medicação.

Que cuidados que o doente deve tomar?
Gestantes com herpes genital podem passar o vírus para o bebê durante o parto. A infecção nesses casos costuma provocar sintomas graves no bebê, devendo ser evitada.

Bibliografia
*Doenças infecciosas e parasitárias: aspectos clínicos, de vigilância epidemiológica e de controle - Guia de bolso / Elaborado por Gerson Oliveira Penna [et al] - Brasília : Ministério da Saúde: Fundação nacional da Saúde, 1999.

*Berger TG, Goldstein SM and Odom RB. Skin & Appendages. In: Tierney Jr. LM, McPhee SJ, Papadakis MA, editors. Current Medical Diagnosis and Treatment. 36th ed. Stamford: Appleton & Lange; 1997. p. 130-131.









Comentários


Novo   thiago
Data: 09/08/2012
gostaria de saber eu nao sabia que estava com o sitomas da herpes simples e tive relacao sexual com minha parceira, nesse caso ela tambem
ta com herpes

Novo   lorrana patricia
Data: 15/02/2013
no sabia q herpes pega sexualmente trasmissivel nossa mais agora sei ja obrigado

Seu Comentário



(E-mail não será publicado)

Envie por e-mail


Veja ainda

Saúde Emocional – você precisa cuidar bem dela!
Graça Serrano - Psicóloga

Depressão - Sintomas
Geraldo J. Ballone, especialista em psiquiatria pela ABP

Alergia e Emoção
Geraldo J. Ballone - Médico

A Opção Somática Das Emoções
Geraldo J. Ballone - Médico

Vida Saudável
Dr. José Alexandre Portinho - Médico






Pesquisa
Receba novidades no seu e-mail
Nome
E-mail
Busca
Área restrita
Usuário
Senha
Locations of visitors to this page
Libertas Casa Amarela: Rua Rodrigues Sete, 158, Tamarineira, Recife, PE, CEP 52051-230, Brasil

Libertas Apipucos: Rua Israel Lima de Oliveira Castro, 245, Macaxeira, Recife, PE, CEP 52071-361, Brasil

Fone: (81) 3268 3596 / (81) 3268 3311 / (81) 3441 7462 / (81) 9721-2021

E-mail: libertas@libertas.com.br
google analytics | google adwords | Produzido por André Gonçalves
Todos os direitos reservados © Libertas | Permitida reprodução mediante autorização | Veja atualizações via RSS |