Pós no Libertas. A teoria na prática e no social.

Sábado, 19 de Abril de 2014





Freud: Consciente, Pré-consciente e Inconsciente

Geraldo Ballone

Versão para impressão | Enviar para e-mail | Comentar


 Freud inicia seu pensamento teórico assumindo que não há nenhuma descontinuidade na vida mental. Ele afirmou que nada ocorre ao acaso e muito menos os processos mentais. Há uma causa para cada pensamento, para cada memória revivida, sentimento ou ação. Cada evento mental é causado pela intenção consciente ou inconsciente e é determinado pelos fatos que o precederam. Uma vez que alguns eventos mentais "parecem" ocorrer espontaneamente, Freud começou a procurar e descrever os elos ocultos que ligavam um evento consciente a outro.
O ponto de partida dessa investigação é o fato da consciência.

Consciente, Pré-Consciente e Inconsciente

Segundo Freud, o consciente é somente uma pequena parte da mente, incluindo tudo do que estamos cientes num dado momento. O interesse de Freud era muito maior com relação às áreas da consciência menos expostas e exploradas, que ele denominava Pré-Consciente e Inconsciente.
Inconsciente. A premissa inicial de Freud era de que há conexões entre todos os eventos mentais e quando um pensamento ou sentimento parece não estar relacionado aos pensamentos e sentimentos que o precedem, as conexões estariam no inconsciente. Uma vez que estes elos inconscientes são descobertos, a aparente descontinuidade está resolvida. "Denominamos um processo psíquico inconsciente, cuja existência somos obrigados a supor - devido a um motivo tal que inferimos a partir de seus efeitos - mas do qual nada sabemos" (1933, livro 28, p. 90 na ed. bras.).
No inconsciente estão elementos instintivos não acessíveis à consciência. Além disso, há também material que foi excluído da consciência, censurado e reprimido. Este material não é esquecido nem perdido mas não é permitido ser lembrado. O pensamento ou a memória ainda afetam a consciência, mas apenas indiretamente.
O inconsciente, por sua vez, não é apático e inerte, havendo uma vivacidade e imediatismo em seu material. Memórias muito antigas quando liberadas à consciência, podem mostrar que não perderam nada de sua força emocional. "Aprendemos pela experiência que os processos mentais inconscientes são em si mesmos intemporais. Isto significa em primeiro lugar que não são ordenados temporalmente, que o tempo de modo algum os altera, e que a idéia de tempo não lhes pode ser aplicada" (1920, livro 13, pp. 41-2 na ed. bras.).
Assim sendo, para Freud a maior parte da consciência é inconsciente. Ali estão os principais determinantes da personalidade, as fontes da energia psíquica, as pulsões e os instintos.
Pré-consciente. Estritamente falando, o Pré-Consciente é uma parte do Inconsciente, uma parte que pode tornar-se consciente com facilidade. As porções da memória que nos são facilmente acessíveis fazem parte do Pré-Consciente. Estas podem incluir lembranças de ontem, o segundo nome, as ruas onde moramos, certas datas comemorativas, nossos alimentos prediletos, o cheiro de certos perfumes e uma grande quantidade de outras experiências passadas. O Pré-Consciente é como uma vasta área de posse das lembranças de que a consciência precisa para desempenhar suas funções.









Comentários


Novo   leny
Data: 10/05/2008
Leia com carinho!!!

Novo   Vilson Rams
Data: 14/10/2010
Queria saber sobre o "subconsciente, se é que ele existe.

Novo   jessika fabianne
Data: 25/11/2010
Muito Interessante este texto...gostei

Novo   Islane Alves
Data: 25/11/2010
Me Ajudou Muito este texto Pois Posso Pesquisar Meus Trabalhos...:D

Novo   andrea
Data: 24/02/2012
Adorei!!! aqui é um verdadeiro resumo, só está faltando falar do subconsciente.;)

Novo   Nayara
Data: 18/03/2012
Excelente texto! Um dos mais concisos que já li... Ajudou bastante! Parabéns!

Novo   carlos
Data: 26/03/2012
Texto com linguagem clara, objetiva, dessa forma facilitando sua compreensão.

Novo   iasmim
Data: 11/06/2012
Excelente esse texto.!
Possui uma linguagem clara, objetiva e fácil compreensão ..
Faltou apenas o subconsciente, se é que ele existe e está inserido nesse contexto.

Novo   Jonatas
Data: 22/08/2012
Geraldo Ballone bom dia!
gostei muito do seu comentario!
vc tem algum sobre Jung? o que vc acha de sua teoria?

Novo   Rodolfo Campos
Data: 24/09/2012
Em tese, é possível que lembranças reprimidas no inconsciente -Id- possa prevalecer sobre o Ego, fazendo assim, com que o indivíduo aja conscientemente baseado em pulsos diretos do Id ao invés do Superego?
Melhor explicando: o indivíduo adulto que viveu a infância suprimindo muitas emoções, e ao mesmo tempo, sendo forçado pelo Id a liberar as mesmas, a ponto de se criar uma segunda personalidade adaptada à repressão do Id a ponto de ciar suas próprias emoções baseadas nas que possui reprimidas no Id, ou seja, é possivel que se tenha acesso às mesmas?
E se por hipótese, a segunda personalidade esteja em colapso a ponto de ter cedido uma passagem do Id para o superego, a ponto de viver em constante e repentina mudança de pensamentos e consequentes sentimentos alterados, o que se materializa em ações que por momento parecem corretas, mas pouco tempo após se tornam inaceitáveis, ou seja, mudaram completamente por conta da mudança no fluxo de idéias fazendo-se com que o que antes parecia correcto, no momento posterior se torne inaceitável pelo indivíduo. Agora suponhamos, ainda na hipótese anterior, que esta mudança repentina de idéias e sentimentos se alternem, ou seja, o indivíduo a todo momento altera entre uma decisão e outra, esta escolha sendo a mesma, melhor exemplificando, o indivíduo quer desesperadamente fazer algo e faz, mas em seguida percebe que o que fez estava errado e volta atrás, mas logo após o sentimento anterior retorna e ele novamente toma a primeira decisão e novamente há uma mudança no fluxo de pensamentos e sentimentos e toma outra decisão, isto acontece repetitivamente. Neste Caso, há alguma explicação para o caso? como se deve proceder?

Novo   adelma
Data: 27/09/2012
Muito bom!

Novo   Davi
Data: 28/02/2013
Conjectura-se que "pré-consciente" e "subconsciente" são sinônimos.

Novo   Fernanda
Data: 22/03/2013
Gostei muito .
Texto com linguagem clara e objetiva

Novo   Alan Siilva
Data: 28/05/2013
Esse texto é bastante interessante.
"Goxtei muito"

Novo   João Elias de Siqueira Júnior
Data: 25/08/2013
Amigos, estou publicando um livro , observei essa matéria brilhante, gostaria de saber se posso publicar em meu Livro, lembrando que os créditos estarão no livro.

Novo   louis luiz
Data: 02/10/2013
parabens pela eficiencia. realmente estão de parabens


Novo   paloma de oliveira lima
Data: 11/02/2014
o silva esse conteudo ta bem especifico sobre o trabalho da gente envia para o e-mail de james

Novo   hortencia
Data: 21/03/2014
muito bom, me ajudou muito em pesquisas..

Novo   nice seo guys
Data: 22/03/2014
Y312JU Very informative blog article.Really thank you! Much obliged.

Novo   XRumerTest
Data: 24/03/2014
Hello. And Bye.

Novo   dDvaLRe
Data: 24/03/2014
aha, I like this topic, bookmark this page, huangjintang.

Novo   lucas dos santos
Data: 15/04/2014
Obrigado foi um texto simplis com grandes conteúdos pude perceber mais sobre inconsciente. Luck flash sala 28 big school

Seu Comentário



(E-mail não será publicado)

Envie por e-mail


Veja ainda

A nossa atitude diante da morte - Ensaio
Sigmundo Freud- Médica Psicanalista

Estrutura da Personalidade
Geraldo Ballone - Psiquiatra

Sigmund Freud
"Baseado no livro "Teorias da Personalidade"

Pulsões ou Instintos
Geraldo Ballone






Pesquisa
Receba novidades no seu e-mail
Nome
E-mail
Busca
Área restrita
Usuário
Senha
Locations of visitors to this page
Libertas Casa Amarela: Rua Rodrigues Sete, 158, Tamarineira, Recife, PE, CEP 52051-230, Brasil

Libertas Apipucos: Rua Israel Lima de Oliveira Castro, 245, Macaxeira, Recife, PE, CEP 52071-361, Brasil

Fone: (81) 3268 3596 / (81) 3268 3311 / (81) 3441 7462 / (81) 9721-2021

E-mail: libertas@libertas.com.br
google analytics | google adwords | Produzido por André Gonçalves
Todos os direitos reservados © Libertas | Permitida reprodução mediante autorização | Veja atualizações via RSS |